terça-feira, 28 de agosto de 2012

DATA


soam palavras de amor e presença, na noite iluminada
dos teus olhos e da nossa ausência; um mar de aves
sabedoras da vida, voeja sobre os nossos olhos

de demanda e sal; de procura e água, salinos-
-hialinos-de água-vidro-pó dos desertos
onde sobrevoámos areias e maresias
...
estranhas de encantadores da vida,

vida-vivida-em teus olhos resplandecida, saber
ao sabor dos teus beijos, fonte de sabedoria
e de todos os meus desejos. ave azul das
manhãs em que sou mais, em que sou
o azul dos teus olhos e as curvas
das minhas coxas. nelas,
resides tu, saber-sabor-
sal de toda a vida

que temos dentro


-1 ano depois-
27 de agosto de 2012

 susana duarte

Sem comentários:

Enviar um comentário