domingo, 2 de março de 2014

de todos os momentos que foste

de todos os momentos que foste, talvez não saibas ainda que o mais belo
foi o momento que antecedeu o beijo. foi o momento que o antecedeu, 
e não o beijo, que mudou de lugar as madrugadas, moveu o ar das noites
e o luar das minhas manhãs. de todos os momentos que foste, o mais belo
foi a antecipação do futuro, ainda que, depois, se tenham perdido todas
as madrugadas das mãos. de todos os momentos que foste, o mais belo
foi aquele em que o abraço antecipava amoras, e as amoras eram beijos
rubros tingindo a manhã. de todos esses momentos, foste apenas um raio
de sol perdido entre os meus olhos. nada mais foste, pois não soubeste
raiar de luz as escolhas da tua vida. de todas elas, a mais fácil foi partir.
de todas elas, a mais imperdoável, foi partir. dos teus dedos, nada mais
ficou dos momentos que antecipavam o beijo, senão a mágoa das noites
sem dia, e dos dias em que te foste. de todos os momentos, a maior mágoa
é não teres sabido ser. de todas as madrugadas, esta será a mais triste.
Susana Duarte




Sem comentários:

Enviar um comentário