sexta-feira, 18 de julho de 2014

esta noite, escreverei para ti.

esta noite, escreverei para ti.

sabes amar as palavras deitadas
sobre os teus dedos, como as vinhas
do norte e a terra sob os teus pés.

sabes do amor e das palavras,
e fertilizas o olhar da noite
com o indizível das uvas
e o futuro das sementes 
que, de ti, nascem. 

a cada manhã.

seremos sempre a poesia
que das vozes emana. 

amar-me-ás 
sob o céu azul dos futuros 
antevistos.
e sobre o húmus
e o útero da terra,
e sobre o corpo,
Gaia-mãe, dança 
da terra sobre os dedos,
e sobre as folhas
ávidas do verão
dos seres. 

esta noite, escreverei.

para ti.

Susana Duarte




3 comentários:


  1. E com a batalha dos corpos transformaremos a uva em vinho

    ResponderEliminar
  2. Uma arte saber escrever assim.
    A natureza parece aceitar os teus gritos poéticos.

    ResponderEliminar